JPB1 estreia série sobre crime que chocou a Paraíba e está completando 15 anos

7 de julho de 2024 Off Por

Francisco França/Arquivo

Em 9 de julho de 2009, a morte de cinco pessoas, incluindo três crianças e uma mulher grávida, em João Pessoa, chocou o país. O crime que ficou conhecido como Chacina do Rangel completa 15 anos, e o JPB1, das TVs Cabo Branco e Paraíba, traz uma série de três reportagens especiais sobre o caso. O material tem depoimentos inédiitos de pessoas que viveram a tragédia. A estreia é na terça-feira (9).

“A Chacina do Rangel foi um fato policial histórico. Fatos históricos devem ser lembrados para sempre. Se forem bons, servem como modelos a serem seguidos, mas quando são ruins, ficam como memória do que nunca mais deve se repetir”, afirma o repórter Alisson Correia, responsável pela série de reportagens.

No primeiro episódio, a série fala sobre o crime. Os telespectadores vão ouvir detalhes de como tudo aconteceu, na voz de quem investigou e participou do processo que condenou os dois réus. Além disso, uma profissional do Samu, que participou dos primeiros socorros às vítimas, também foi ouvida.

Já no segundo episódio, profissionais da imprensa, que participaram ativamente da cobertura na época, foram ouvidos pelo JPB1. Aquele dia ficou marcado na memória de muita gente, até hoje.

A nossa missão no JPB1 é fazer o diferente, deixar os paraibanos bem informados, com responsabilidade. Sabendo da barbaridade do crime e como ele impactou a sociedade, vamos relembrar a história com depoimentos inéditos. Estou muito orgulhoso do material preparado pela equipe do JPB1 e convido todos a acompanharem

Joalisson Douglas – editor-chefe do JPB1

Por fim, no terceiro episódio, o JPB1 vai contar como a vida seguiu para os sobreviventes. A reportagem tem depoimentos do conselheiro tutelar que acompanhou as crianças na época do crime, o cirurgião que operou uma das crianças sobreviventes, que chegou a levar um golpe de facão, uma assistente social que segue acompanhando os sobreviventes. E tem ainda um depoimento inédito de uma das pessoas que conseguiram sobreviver à tragédia.

A nossa ideia com essa série documental é dar detalhes que não foram contados de um crime brutal que chocou toda a Paraíba, é o jornalismo recontando uma história do jornalismo. Foram mais de 50 horas de entrevistas, detalhes que nunca foram contados de pessoas que participaram desse episódio trágico, e ouvir os relatos e rever todo o material feito na época foi muito pesado, tinha hora que tinha que parar para respirar se não a gente não dá conta

Mirela Vasconcellos – editora do JPB1

Os autores da Chacina do Rangel, Carlos José dos Santos e Edileuza Oliveira, foram condenados, em 2010, a 116 e 120 anos de prisão, respectivamente. Os dois eram vizinhos das vítimas e cometeram o crime por conta de uma discussão entre crianças.