Bruno inicia nova batalha na Justiça contra Câmara de Vereadores

4 de junho de 2024 Off Por

Foto: Arquivo. Foto: Divulgação

Texto: Pedro Pereira

Depois de acionar a Justiça contra a Câmara de Vereadores para derrubar as Emendas Impositivas, o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, decidiu iniciar uma nova batalha judicial. Dessa vez a procuradoria do município ajuizou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) pela não aprovação de um pedido de suplementação de R$ 90 milhões encaminhado à ‘Casa’.

Na ação o prefeito afirma que a retirada do poder de suplementação de até 30% do orçamento tem “efeitos nefastos (que) estão na iminência de inviabilizar a continuidade da gestão municipal e criar um caos financeiro e social na cidade”.

O assunto foi tema hoje de debate entre as bancadas de oposição e de situação na Câmara.

A vereadora Jô Oliveira (PC do B) lamentou mais esse episódio de embate entre Executivo e Legislativo.

“O prefeito precisa entender que a Câmara não é a mesma da qual ele estava acostumado. Lamento os ataques que estamos recebendo. A preocupação em torno do orçamento público precisa acontecer com diálogo, com conversa, mas respeitando o prazo que a lei nos assegura”, assinalou.

Já o vereador Alexandre do Sindicato (UB), vice-líder do prefeito, considerou que a movimentação feita pelo prefeito é compreensível.

“Eu acho normal. Hoje eu trouxe à Tribuna parte da peça orçamentária de um pedido de suplementação orçamentária do governo do Estado, com o mesmo percentual de 30% feito no início do exercício deste ano. Então, por qual motivo pode para o Estado, mas não pode para o município? A verdade é que há um viés político por trás desse travamento”, observou.

A oposição pede o detalhamento da suplementação e afirma que o pedido foi feito de forma genérica.

????????????????????????????????????.